Páginas

Amigos de Caaporã

SHOPPING LUX MAGAZINE

quarta-feira, 30 de outubro de 2013

Paralisação de professores deixa 300 mil alunos sem aula em toda a Paraíba

Estiveram presentes representantes do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado da Paraíba e secretários de Estado

ReproduçãoReunião com o Ricardo Coutinho
Reunião com o Ricardo Coutinho
Cerca de 300 mil estudantes deverão ficar sem aulas a partir desta quarta-feira (30), devido à paralisação dos professores e técnicos da educação pública do Estado. A classe reivindica o cumprimento das ascensões previsto no Plano de Cargos Carreira e Remuneração (PCCR) e gratificações junto com o pagamento do Piso Nacional.
Os sindicalistas ainda lutam melhorias de condições de trabalho, pagamento do Piso Nacional com retorno das gratificações removidas após aplicação das bolsas de produtividade.
Nessa terça-feira (29), o  governador Ricardo Coutinho recebeu na Granja Santana, a diretoria da Associação dos Professores de Licenciatura Plena do Estado da Paraíba (APLP-PB). Na pauta do encontro, as propostas de revisão dos planos de progressão e melhorias salariais. Estiveram presentes representantes do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado da Paraíba (Sintep) e secretários de Estado.
Durante a reunião, ficou definido que será publicada no Diário Oficial do Estado a criação da comissão para estudar os parâmetros das progressões salariais. O governador Ricardo Coutinho reafirmou o esforço do Estado para instituir uma Data Base em janeiro com olhar diferenciado para algumas categorias, como o magistério e a segurança pública. “Ao magistério concedemos um reajuste médio de 10%, através da recomposição da tabela, atendendo demanda da categoria, pagando o piso nacional e incluindo o 14º e em alguns casos o 15º salário com os programas Mestres da Educação e Escola de valor”, lembrou.
O presidente da APLP, Francisco Fernandes, afirmou que a reunião foi importante para a abertura de um diálogo sobre as progressões salariais e os níveis da categoria. “Defendemos uma progressão salarial por titulação como forma de estimular a qualificação dos professores. Estamos dando os primeiros passos e temos tempo para dialogar e avançar. Sem o diálogo não chegaremos a lugar nenhum”, comentou.
Francisco Fernandes reconheceu avanços na educação com a convocação de concursados, a instituição de uma data base e do 14º e 15º salários que considerou serem ótimos mecanismos para estimular o professor. “Dentro da associação orientamos todos os docentes a inscreverem seus trabalhos. É um estímulo para a pesquisa, a elaboração de projetos que inserem os alunos na prática acadêmica”, observou.
A secretária de Educação do Estado, Márcia Lucena, avaliou a reunião com os professores como positiva e esclarecedora com a colocação na mesa das propostas da categoria e a realidade financeira do Estado. “Estamos formando uma comissão bastante representativa para estudarmos as progressões salariais e pretendemos, já na próxima semana, nos reunirmos novamente com a categoria”, informou a secretária.
Participaram da audiência os diretores da APLP, Francisco Fernandes, Bartolomeu Pontes, Lúcio Barbosa e Fernando Lira; e as secretárias de Administração, Livânia Farias, e de Educação, Márcia Lucena.

Portal Correio

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários sobre as publicações nesse blog passarão pelo moderador e só publicaremos comentários de pessoas que estiverem devidamente identificadas e que não denigram a imagem de outrem.

VISITANTES

busca no blog