Páginas

Amigos de Caaporã

SHOPPING LUX MAGAZINE

quinta-feira, 13 de junho de 2013

Chuvas provocam alagamentos e PRF registra mais de 10 acidentes na Paraíba

De acordo com Noé Estrela (coordenador da Defesa Civil da Capital), ocorreu um deslizamento de barreira na comundiade do Timbó, nos Bancários

Erivaldo Júnior / Paulo Henrique 12
Trecho da BR 230 e CBTU em JP
As chuvas das últimas horas deixaram em alerta a Defesa Civil de João Pessoa. Na manhã desta quinta-feira (13), uma barreira deslizou na comunidade do Timbó, no bairro dos Bancários. Equipes do órgão estão fazendo a remoção das famílias. Segundo dados da Polícia Rodoviária Federal (PRF), 13 acidentes foram registrados nesta manhã. Ocorreram colisões no perímetro urbano da Capital paraibana.
“Vários trechos da BR 230 e BR 101 provocaram pontos de alagamentos deixando o trânsito lento e em alguns pontos os carros ficaram parados. Os motoristas devem redobrar a atenção para evitar mais acidentes. Nas imediações do Forrock formou-se uma grande concentração de água, inclusive no trecho da BR 230 em Bayeux ”, adiantou Anderson Poddis. Ele informou que os acidentes ocorreram na BR 230 ( 4), BR 101 (6) e um na BR 104.
O prefeito de João Pessoa, Luciano Cartaxo, cancelou sua agenda de atividades nesta quinta-feira para vistoriar as áreas de risco em João Pessoa.  
A Secretaria  de Mobilidade Urbana ( Semob) de João Pessoa, registrou trânsito lento em vários pontos da Capital.   De acordo com Noé Estrela (coordenador da Defesa Civil da Capital), no Timbó está sendo realizada uma obra de infraestrutura e muitas famílias ainda resistem sair do local. “Fizemos um acordo com 41 famílias e elas concordaram deixar o local. Sendo que algumas ainda resistem a sair do local”.
Lagoa do Parque Solon de Lucena, em JP
Foto: Lagoa do Parque Solon de Lucena, em JP
Créditos: Paulo Henrique
O coordenador ainda informou que equipes da Defesa Civil registraram picos de alagamentos na comunidade do Citex ( no Geisel), nos bairros São José , Roger, Padre Zé, Treze de Maio, Jardim Veneza e BR 230.
“Todas as 31 áreas de risco de João Pessoa estão monitoradas. No bairro do Rangel, ficamos sabendo que uma casa está inundada e corre risco de desabamento. Nossas equipes estão vistoriando todas as áreas mapeadas pela Defesa Civil de João Pessoa”, frisou Noé Estrela.
A situação na cidade de Santa Rita, na região metropolitana de João Pessoa, também é crítica. Vários bairros da cidade registram alagamentos. Bairros como Açude, Alto das Populares e Tibiri, estão com ruas submersas. O centro de Santa Rita está parcialmente alagado.
Segundo o coordenador de comunicação da Prefeitura Municipal de Bayeux, apesar das fortes chuvas, a Defesa Civil da cidade não registrou nenhuma ocorrência grave. A área ribeirinha está sendo vistoriada e monitora. Atualmente, Bayeux tem 15 áreas de risco. Quem souber de problemas em decorrência das chuvas pode ligar pra o 156. 

Rua Eurico Durta, bairro Popular, em Santa Rita
Foto: Rua Eurico Durta, bairro Popular, em Santa Rita
Créditos: Erivaldo Júnior
Foto enviada pelo leitor do Portal Correio, Erivaldo Junior, mostra a situação complicada do Centro da cidade de Santa Rita.
Centro de Santa Rita inundado
Foto: Centro de Santa Rita inundado
Créditos: Erivaldo Júnior
Chuvas superam média 
A Agência Executiva de Gestão das Águas do Estado da Paraíba (Aesa) registrou um aumento significativo nas chuvas que atingem a Capital paraibana. Em apenas 13 dias, choveu mais do que o esperado para todo o mês. A média histórica, que é de 303 milímetros, foi superada em 9,5% na manhã desta quinta-feira (13).
Os maiores índices pluviométricos de João Pessoa foram registrados no último domingo (132,2 milímetros) e na quarta-feira (83,6 milímetros). Em 48 horas choveu mais de 70% da média histórica de junho, que é o mês com maior número de dias chuvosos no Litoral.
“Estas ocorrências mais fortes são provocadas pelos distúrbios ondulatórios de leste, os aglomerados de nuvens que se formam no oceano Atlântico e são trazidos para a costa. Eles costumam atingir boa parte do litoral nordestino, indo do Rio Grande do Norte até Alagoas, mas normalmente Pernambuco e Paraíba são os Estados mais afetados”, explicou a meteorologista Carmem Becker.
Previsão
A expectativa é da meteorologista é de que o tempo instável continue nas próximas 24 horas. “A previsão é de chuvas de menor intensidade no Litoral, Brejo e Agreste. No Cariri, Curimataú, Sertão e Alto Sertão devem ocorrer precipitações isoladas por causa da umidade”, concluiu.
O boletim meteorológico detalhado está disponível no portal www.aesa.pb.gov.br, onde a previsão do tempo e temperatura para todo o Estado é atualizada a cada 12 horas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários sobre as publicações nesse blog passarão pelo moderador e só publicaremos comentários de pessoas que estiverem devidamente identificadas e que não denigram a imagem de outrem.

VISITANTES

busca no blog