Páginas

Amigos de Caaporã

SHOPPING LUX MAGAZINE

terça-feira, 12 de março de 2013

Caso Fátima Lopes: Advogado renuncia mandado de defesa e julgamento de Eduardo Paredes será adiado

O acidente aconteceu no dia 24 de janeiro de 2010 no cruzamento da avenida Epitácio Pessoa com a rua Prefeito José Leite, no bairro do Miramar

Jornal CORREIO
Caso Fatima Lopes
Eduardo Paredes e advogado

O julgamento do psicólogo Eduardo Henriques Paredes do Amaral, previsto para acontecer na tarde desta terça-feira (12), no Fórum Criminal da Capital, será adiado em virtude do advogado Abrão Beltrão ter apresentado nesta segunda (11) renúncia de mandado de defesa. A informação foi prestada pelo juiz titular do 2 Tribunal do Juri da Capital, Marcial Henrique Ferraz. “Amanhã, ao abrir a sessão, vou comunicar o fato e adiar o julgamento do caso em questão”, revelou o magistrado.
Eduardo Paredes é acusado de ter provocado a morte da defensora pública Fátima Lopes, após um acidente de trânsito no cruzamento da avenida Epitácio Pessoa com a rua João Domingos, no bairro de Miramar, fato ocorrido no dia 24 de janeiro de 2010. Após o acidente, Eduardo Paredes foi denunciado pelo Ministério Público por homicídio doloso (quando há intenção de matar).

Agora, ante o fato novo (renúncia do mandado de defesa), a Justiça concederá prazo de dez dias a contar desta terça-feira (12) para que seja apresentado um novo advogado para o réu, conforme explicou o juiz Marcial Henrique. “Caso isso não ocorra, a Justiça nomeará um defensor pblico para dar seguimento ao processo, explicou.

O psicólogo também é réu em outro processo criminal que apura a morte da dona de casa Maria José dos Santos, 56 anos. Ela foi atropelada e morta no mês de junho de 2010, quando atravessava a rua Hilton Souto Maior, no bairro de Mangabeira, em João Pessoa.

Sobre esse segundo caso, o juiz Marcial Henrique Ferraz informou que o processo está em fase inicial, aguardando que a o advogado do réu apresente a defesa do mesmo. Após tal procedimento, o julgamento de Eduardo Paredes será marcado.

O primeiro adiamento do processo aconteceu no dia 31 de outubro de 2012, após o advogado de defesa, Abraão Beltrão, justificar problemas de saúde. O juiz de direito, José Aurélio da Cruz, acatou pedido do Ministério Público da Paraíba e dos advogados de acusação e decretou a prisão preventiva do psicólogo. Desde então, Eduardo Paredes está preso na sede do 5º Batalhão de Polícia Militar, localizado no bairro do Valentina de Figueiredo.

Acidente com Fátima Lopes

No dia 24 de janeiro de 2010, a caminhonete dirigida pelo psicólogo Eduardo Paredes avançou o sinal vermelho e colidiu com o carro da defensora pública do Estado, Fátima de Lourdes Lopes Correia Lima. Ela ia à igreja com seu esposo, Carlos Marinho, quando aconteceu o acidente no cruzamento das Avenidas Epitácio Pessoa e João Domingos. A suspeita era de que o psicólogo estaria embriagado e em alta velocidade.

Outro acidente

O psicólogo Eduardo Henriques Paredes do Amaral também é acusado de atropelar e matar a dona de casa Maria José dos Santos, no bairro de Mangabeira, em junho de 2010. O inquérito desta segunda morte causada por Eduardo já foi concluído e o caso está no 2º Tribunal do Juri.

"Temos provas do dolo eventual e Eduardo será também julgado por este crime. Ele tinha consciência da sua incapacidade para impedir o homicídio e assumiu os riscos, assim como fez com Fátima Lopes", explicou o promotor de justiça Edjacir Luna.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários sobre as publicações nesse blog passarão pelo moderador e só publicaremos comentários de pessoas que estiverem devidamente identificadas e que não denigram a imagem de outrem.

VISITANTES

busca no blog