Páginas

Amigos de Caaporã

SHOPPING LUX MAGAZINE

quarta-feira, 22 de agosto de 2012

Polícia da PB prende no Rio acusado de sequestrar, assassinar e incendiar empresário em Alhandra

A Polícia Civil da Paraíba prendeu nesta quarta-feira (22), no Estado do Rio de Janeiro, o acusado de sequestrar e assassinar o empresário Adilson Bezerra de Albuquerque, de Goiana (PE). O crime aconteceu em 2005 e o corpo da vítima foi encontrado carbonizado no município de Alhandra (PB).

Paulo Malaquias da Rocha, de 32 anos, que estava foragido há sete anos, foi encontrado em sua residência no município de Belford Roxo, na Baixada Fluminense, onde morava e atuava como empresário.

De acordo com o delegado titular de Alhandra, Fred Magalhães, que conduziu as investigações, a polícia paraibana foi até o Rio de Janeiro cumprir o mandado de prisão expedido pela Vara Criminal da cidade de Alhandra e contou com o apoio de agentes da Subsecretaria de Inteligência da Secretaria de Estado de Segurança do Rio.

"Descobrimos que Paulo vivia em Belford Roxo, onde mantinha residência e trabalho fixos. Graças à articulação entre a Secretaria de Segurança da Paraíba e a do Rio de Janeiro, conseguimos montar a operação e dar cumprimento ao mandado de prisão com êxito”, detalhou o delegado.

O secretário de Estado de Segurança Pública, Cláudio Lima, tomou conhecimento, em Brasília, do sucesso da operação e ressaltou o profissionalismo dos policiais civis da Paraíba.

"Mais um crime grave que foi solucionado pela nossa polícia. Ações como essas, que demandam o esforço operacional e o uso da inteligência policial, demonstram a qualidade profissional de nossa Polícia Civil, considerada uma das melhores do país”, elogiou Cláudio Lima.

O preso vai responder por homicídio qualificado. Ele deverá ser recambiado ainda esta semana para a Paraíba e conduzido a um dos presídios do Estado.
Secom PB

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários sobre as publicações nesse blog passarão pelo moderador e só publicaremos comentários de pessoas que estiverem devidamente identificadas e que não denigram a imagem de outrem.

VISITANTES