Páginas

Amigos de Caaporã

SHOPPING LUX MAGAZINE

quarta-feira, 24 de setembro de 2008

Pesquisa aponta vitória de Dr. João Batista

Pesquisa Perfil: João Batista lidera com 51,71% em Caaporã
O ex-prefeito João Batista Soares (PMDB) lidera a sucessão municipal em Caaporã. Se a eleição fosse hoje, Dr. João, como é conhecido o peemedebista, seria eleito com 51,71% das intenções de voto. A prefeita e candidata à reeleição, Jeane Nazário dos Santos (PSDB) ficaria em segundo lugar, com 36,29%. Os votos brancos e nulos seriam 2,57%. É o que aponta a primeira pesquisa realizada pelo Instituto Perfil no Município de Caaporã. Os eleitores indecisos, segundo o Perfil, são 9,43%. Na consulta espontânea, segundo o Perfil, Dr. João Aparece com 50% das intenções de voto, contra 33,14% da prefeita Jeane Nazário. Os brancos e nulos são 2,29% e os eleitores indecisos 14,57%. A prefeita e candidata à reeleição ganha do concorrente no item rejeição. Segundo o Perfil, Jeane tem 38,57% de rejeição, contra 24,29% de Dr. João. Os eleitores que jamais votariam em nenhum dos dois é de 22,29%. E os que rejeitam os dois são apenas 2%. O restante (12,86%) não soube responder. O Perfil ouviu 350 eleitores em Caaporã nos dias 16 e 17 deste mês, nos seguintes bairros: Centro, Piquete, São João, São Pedro, Mutirão, Mangabeira, Rua Macedo Viana e Nova Caaporã. Também foram ouvidos eleitores nos distritos de Cupissura, Barreiro, Capim de Cheiro I, Capim de Cheiro II e Retirada. A pesquisa de intenções de voto para prefeito de Caaporã está registrada no Cartório Eleitoral da 73ª Zona Eleitoral da Comarca de Alhandra com o número 2112/2008. A margem de erro é de 5,23 pontos percentuais para mais ou pra menos, segundo o Instituto Perfil. O Instituto perfil utilizou o método quantitativo de pesquisa, consistindo na realização de entrevistas pessoais, com a aplicação de questionários estruturados e padronizados, junto a uma amostra representativa da população pesquisada.Foram entrevistados eleitores de ambos os sexos e com diversos níveis de instrução, residentes e domiciliados no Município de Caaporã. O mesmo método foi utilizado nas pesquisas realizadas anteriormente em João Pessoa, Campina Grande, Patos, Piancó, Itaporanga, Guarabira, Solânea, Cabedelo, Itabaiana, Catolé do Rocha, entre outros municípios. Para a realização das pesquisas, foi utilizada uma equipe de quatro entrevistadores e um supervisor, devidamente treinados para este tipo de trabalho. Durante os trabalhos de campo, os entrevistadores foram submetidos a uma fiscalização que consiste no acompanhamento de 10% dos questionários aplicados pelos mesmos, para verificação das respostas e da adequação dos entrevistados aos parâmetros amostrais.
Disputa para vereadorO Perfil também procurou saber a opinião do eleitorado de Caaporã sobre os nomes que disputam vagas na Câmara Municipal. O instituto constatou que existem 34,02% de eleitores indecisos e 11,43% que preferem outros nomes. Os eleitores que pretendem votar nulo ou em branco são apenas 0,86%.
Fonte: http://www.portalcorreio.com.br

CAGEPA - Mediocridade e falta de competência administrativa em Caaporã

CAAPORÃ: DESERTO DO SAARA

O Município de Caaporã com aproximadamente 20.000 (vinte mil) habitantes, vive um verdadeiro caos administrativo, não bastasse os desmandos de uma gestão catastrófica da Prefeitura, agora somos obrigados a agüentar a falta de capacidade de um medíocre gerente da CAGEPA da Agencia de Caaporã, senão vejamos:
Há algum tempo, cerca de dois meses, uma das bombas de alimentação de água queimou, ficando o abastecimento a cargo de apenas uma bomba. Por este motivo a cidade tem vivido processo de racionamento tendo o fornecimento de água de modo muito precário, geralmente sendo liberado só pela parte da noite, o que prejudicava muito a população, principalmente o trabalho das heróicas donas de casa.
O que mais causa indignação, é que na quarta feira passada, queimou-se a outra bomba. Imaginem! A cidade de Caaporã está desde quarta feira sem o fornecimento do precioso líquido. È voz na cidade que a previsão de conserto da bomba é somente para a próxima segunda feira.
Então ficam algumas perguntas no ar:
Será que segunda feira o fornecimento de água será normalizado, ou continuará o racionamento?
Será que a população de Caaporã pode ficar 06 (seis) dias sem água, tendo que comprar água mineral para as suas atividades domésticas, profissionais e comerciais?
Será que a população de Caaporã não merece respeito? Ou ao menos ser avisada do fato? Nossa obrigação é só o pagamento de contas para evitar o corte de fornecimento, o que o gerente da CAGEPA faz muito bem e de modo louvável? Não merecemos pelo menos uma pequena satisfação, por rádio, alto falante, carro de som ou panfletos?
Será que o Gerente da CAGEPA de Caaporã, nestes dois meses que já perdura o problema não teve a coragem de observar e tentar sanar o problema???
É público e notório o abandono e o desrespeito pelo nosso povo, nós como cidadão e consumidores da CAGEPA, exigimos nossos direitos constitucionais que esta empresa de prestação de serviços públicos tem OBRIGAÇÃO de prestar à população.

VISITANTES

busca no blog